Artistas e jornalistas

“O Teatro dos Sentidos me parece algo importante a se trazer para a minha companhia. Seria uma troca maravilhosa. Paula Wenke não deve parar esse trabalho criativo e engajado nunca!”
Arianne Mnouskine
Diretora do Théatre du Soleil em Paris.
 
“Que espetáculo lindo. Quanta magia e emoção!
Alcione Mazzeo 
Atriz

 “Conheci o projeto Teatro dos Sentidos criado por Paula Wenke e agradeço por essa oportunidade. Trabalho apaixonante. Desejo sorte e continuação sempre.”
Patrice Pavis
Doutor e Professor de Teatro na Universidade de Paris VIII – Saint-Denis
Autor de “Dicionário de Teatro”.

 
“Parabenizo Paula Wenke. Nunca tinha passado por isso, uma experiência única. Já assisti muitos espetáculos, nunca de olhos vendados. Muito bacana este trabalho de inclusão, que atrai um público específico, e abre para um público teoricamente sem problemas, ao menos pela falta de algum sentido. Uma história bem contada, os cinco sentidos totalmente despertados.”
Wendel Bendelack 
Ator e Diretor
 
“O Festival de Teatro Europeu de Portadores de Deficiência tem total interesse em integrar o Teatro dos Sentidos em suas próximas edições em Versailles. Desta forma poderemos abrir pela primeira vez para um outro continente.”
Rachel Boulanger-Dumas
Presidente do ORPHEE (Oevres et Réalisations des Personnes Handicapées d´Expression Européenne).
 
“Sou atriz há 55 anos, já fiz inúmeros trabalhos, viajei o mundo inteiro. De repente descobri uma forma de teatro que envolve de uma tal maneira que eu nunca vi igual. Estou emocionada, vivi aqui cada momento. É realmente um grande espetáculo. Será um grande sucesso,e acredito que vocês vão ganhar prêmio. Eu quero estar presente. Amei, e vou ver de novo.”
Lady Francisco 
Atriz
 
 “Fiquei muito mexido com todo o espetáculo do Teatro dos Sentidos. Um projeto que tem uma função social muito importante.”
Rodrigo Fagundes 
Ator
 
“…É um livro vivo”- diz a autora e repetem seus discípulos.
Discípulos porque a ideia de Paula se harmoniza com os passos de Boal.
A diretora se interessa por multiplicar a aprendizagem dos palcos de Arena.
Hilda Armstrong
Jornalista do Entre Panelas – crítica ao referido espetáculo.
 
“…Em tempos de ultra super hiper conectividade, ter a oportunidade de voltar a ter contato com a nossa percepção primitiva das coisas já merece nota 10.
Vilma Goulart 
Jornalista do Informação de Primeira- crítica ao referido espetáculo .
 
“Difícil escolher as palavras para expressar um momento tão raro. Tudo misturado e turbulento que às vezes fica difícil contextualizar em palavras os sentimentos, mesmo quando é apenas para dar um simples parabéns. Que alegria e emoção poder ter “visto” este espetáculo, que atitude mais nobre a de Paula Wenke e de sua equipe que prepararam tudo com tanto carinho e competência. Linda peça.
Aline Maggi
Atriz e Bailarina
 
“Amei tudo. Que história linda, que texto poético, engraçado, dinâmico, emocionante! Sucesso merecido!”
Renata Melo 
Atriz e Professora de Teatro
.
“Uma experiência inesquecível. Hoje, por força desses encontros mágicos do destino, conheci o Teatro dos Sentidos. Nem sei se posso dizer que “assisti”, talvez eu possa dizer, assim como todos da plateia, que participei da peça Feliz Ano Novo. Os textos e poemas de Paula, junto à brilhante atuação de todos os atores, inclusive mirins, conduziam com encanto esta experiência inédita e inesquecível.
Sara Bentes 
Cantora, Poeta e Deficiente Visual.
 
“ Sou muito fã de Paula Wenke. Honradíssimo por ter um poema meu inserido na peça. Fiquei muito emocionado. A crítica conseguiu representar magnificamente o sentido do espetáculo. Esta idéia é magistral. É possível perceber a proposta e o despertar destas sensações tão em falta. A visão nos rouba a capacidade de mergulhar no mundo, de senti-lo! Parabéns pelo Sucesso!”
Paulo Betto Meirelles 
Poeta e Músico.
 
“ … Há uma cena, das crianças brincando na praia que chorei, rapidinho, quietinho, atrás do obscuro da venda.Visualizei minha infância e fiquei muitíssimo emocionado. E olha que pra sair lágrimas dos meus olhos, só provocando minha natureza mais íntima!  Parabéns Madamme Wenke!”
Zelimar Barbosa 
Ator Cômico e Performer.
 
“Espetáculo adorável. Inovador, revolucionário e cativante.
O que eu ouvi e vi , (aliás só ouvi) muito me emocionou. O perfume, o Champagne, a água na cara, o confetes, as serpentinas e a rosa deram um ar poético impregnando o ambiente de magia e (apesar dos olhos vendados) de luz. ”
Dalberto Gomes 
Poeta
 
 

Plateia comum

 “Obrigada pela oportunidade de conhecer melhor meus outros sentidos. Olfato (amei os odores), audição (consegui visualizar perfeitamente), paladar (que prazer…) e tato (refrescante). Foi um es-pe-tá-cu-lo emocionante! Na entrada tive o frio na barrigada da expectativa do novo. Eu me senti criança quando vai entrar num brinquedo novo de parque de diversões. E as emoções que a peça provoca?! Imperdível!”
Flavia Frulls 
 
“Aceitem meus parabéns pela montagem da peça FELIZ ANO NOVO em BH,  dentro da proposta revolucionária do TEATRO DOS SENTIDOS. Desde a efervescência dos anos 60 e início dos 70, a criação artística brasileira, salvo as raríssimas exceções que confirmam a regra, caiu num túnel de poucas inovações.
Algumas iniciativas nos últimos anos deram início a uma nova fase da criação brasileira, apontando novos caminhos que, certamente, culminarão num futuro bem melhor e mais rico do nosso panorama cultural. Dentre elas, destaco a peça FELIZ ANO NOVO, de sua autoria, como um farol desses novos tempos, recheada de criatividade, inovação, novas formas e, principalmente, capacidade de emocionar, interagir e comunicar.
Além de trabalhar bem todas as outras faces do bom teatro – como texto, direção e representação – a peça nos abre um admirável mundo novo ao transcender radicalmente a noção de sentido a que estamos acostumados.”
Carlos Henrique de Oliveira
Poeta
 
“Experiência única, nunca sentida, nem vivida. Sensações embaladas por músicas e sons que me levou a viajar pela história, mergulhando no enredo com cheiros, sabores, palavras, toques, sons e que me emocionaram. Espero ter outros encontros com o Teatro dos Sentidos.”
Aline Malverde
 
“Eu amei o Teatro dos Sentidos! Eu me senti no mesmo patamar social de todos os que estavam ali.  Acho que a ideia foi essa. A nova geração deve usar a força do teatro, desse linha cultural tão linda e natural para corrigir rapidamente o problema que persiste há séculos em diversas sociedades: o preconceito. O Teatro dos Sentidos me ajudou a enxergar melhor e com mais igualdade a importância que todos nós seres humanos. E fiquei feliz como há muito não ficava. Maravilhoso enxergar o outro!”
Lulu Lovathon
 
“ É complicado expressar com palavras tudo o que eu senti durante esta peça.
Senti emoção, desespero, amor, praze re até fome. Mas daí vieram as pipocas!
No momento em que a garota misteriosa contava para as crianças histórias sobre piratas e alienígenas, eu pude sentir o frescor e o alívio de se estar a vontade em uma praia, e também a emoção da história me cativou bastante.
Todas as gentilezas e momentos românticos do capitão e a garota me arrancaram suspiros. Esta certa garota também despertou – me uma admiração e identificação.  Um espírito maravilhoso de aventuras e poder ser livre para fazer o que der e vier.
Também me dei ao luxo de sentir um certo prazer quando permiti que minha imaginação me levasse bem longe.  Mas as principais sensações foram a curiosidade e a esperança. Que me fizeram ficar até o fim e ter o prazer de sentir todas as outras.
Uma experiência que nunca esquecerei. Com certeza uma peça que revolucionará o mundo teatral, e com certeza com muito sucesso”
Alessandra Alexandrino
 
“Nunca havia ido a um teatro onde tivesse uma experiência tão única como esta,que além de “assistir” a peça, pude senti-la,como se também fizesse parte dela.
Achei algo muito interessante, onde além de poder testar nossos sentidos, podemos nos colocar em uma realidade totalmente diferente, numa realidade vivida infelizmente por uma parte da população. Achei muito legal a iniciativa de trazer essa peça para Belo Horizonte, pois atualmente é difícil encontrar peças que possam conscientizar as pessoas, ao mesmo tempo que acrescenta algo a mais na experiência de vida de casa um, podendo até mesmo influenciar e criar novas concepções de vida.
Alessandra Andrade
 
“A peça Feliz Ano Novo foi sem dúvida uma peça teatral diferente de outras que assisti, ou melhor, eu não assisti, os olhos são vendados e temos que colocar todos os outros sentidos em ação (olfato,audição,tato e paladar). A cada momento da peça somos surpreendidos também com sensações de amor, alegria e tristeza. Os personagens nos fazem mergulhar nesses sentimentos e criar (imaginar) o cenário de toda a historia contada. Sem dúvida foi uma experiência maravilhosa, uma oportunidade de poder sentir um pouquinho do que as pessoas com deficiência visual sentem e vivem todos os seus dias.
Lúcia Alexandrino
 
“Eu que tenho tentado ser um “secretário” dos meus sentidos, de olhar além das aparências, de fazer poesia a partir das coisas mais simples e ínfimas fiquei na expectativa e, confesso, um pouco inseguro com uma venda nos olhos mas  totalmente entregue e aberto para explorar os outros sentidos, como é a proposta da idealizadora do projeto. Guiado pelos atores fui aos poucos me ajustando e ajustando a minha audição, o meu tato, o meu paladar e o meu olfato, “vendo” com os outros sentidos. Mais tranquilo, eu me vi no lugar de um deficiente visual  sentindo as suas dificuldades e ao mesmo tempo me harmonizando e interagindo com tudo que acontecia ao meu redor: a representação de uma história, as personagens, a alegria, a música, os efeitos de sonoplastia.
Só tenho elogios a fazer à Paula Wenke, idealizadora e realizadora do projeto, e aos atores (bacana, isto de encenar a história com os atores de cada cidade em que a peça é apresentada). Com uma ideia inovadora ela incluiu todas as pessoas, deficientes e não deficientes, que gostam de ‘viver” uma boa história.”
 Jair Barbosa
Bibliotecário e Poeta
 
“Fechei os olhos debaixo da venda  e me entreguei. Viajei na história. Senti todas as emoções: os prazeres, as angústias. Emocionei-me com o amor pelo amor”
Cíntia
“Como proceder com um projeto que nos faz realmente sentir a sensação de nos colocarmos no lugar do outro, ainda mais quando esse outro se trata de um ser humano sem o sentido da visão? Não seria justo esta eletrizante sensação ser sentida apenas por alguns, a sensação de nós sentirmos muito medo quando um navio
está afundando e nada podemos fazer, pois afinal não estamos enxergando nada que está acontecendo, a sensação de sentirmos o cheiro da alimentação e não visualizarmos da onde está vindo, a sensação de ouvirmos vozes e imaginar que
quem está falando está em uma determinada direção, porém ao tirarmos a venda dos olhos e visualizarmos que era apenas uma caixa de som para onde iam determinadas vozes com microfones? A sensação de imaginarmos um cenário, no qual é apenas uma imaginação? É essa a sensação que faz o espetáculo “Feliz ano Novo” do Teatro dos Sentidos ser um espetáculo tão único e raro. O mesmo deveria ser “visto” por todos, ou não visto.Uma equipe que conta com atores excepcionais e receptivos.”
Ingrid Vaz Martins
 

Elenco

“A magia teatral da escritora encenadora, poeta e contadora de histórias Paula Wenke contagia a todos com sua destreza, sabedoria e sensibilidade sem igual.  Paula Wenke nos apresenta o Teatro dos Sentidos. Apaixonada, ela nos relata depoimentos e com tamanho entusiasmo e alegria nos revela um trabalho digno, autoral e acima de tudo um trabalho que por sua importância de acessibilidade deveria ser ao meu ver inserido em varias instituições dos nossos estados.O Teatro dos Sentidos aproxima o ator ainda mais do seu duplo, sendo este duplo seu igual, neste contesto somos bombardeados com informações e dentro de jogo cênico onde somos provocadores, somos provocados por uma plateia e sua espontaneidade,(é verdade meus amigos estou até hoje sentindo o que vi de mais genuíno ,verdadeiro e puro, movimentos que lembravam os meus, mais de uma forma espontânea,sem máscara).
Certamente estou melhor que “ontem”,meus sentidos foram reorganizados, hoje me torno melhor ator, melhor homem e uma pessoa melhor, hoje compreendo melhor meu igual, respeito melhor meu igual, e acima de tudo estarei mais atento com propostas para este meu igual. O que Paula Wenke faz com seu lindo trabalho é sem duvida levar um trabalho profissional para todos, indiferente de sua condição social, intelectual ou física. O corpo pede um nova continuação deste trabalho, até por que não conseguimos atingir com o pouco tempo que tivemos um maior numero de pessoas. Este ano que se encerra(2014) o Teatro dos Sentidos conseguiu passar por Minas e deixar seu recado com muito louvor. Acreditemos que teremos mais trabalhos para 2015 é já me coloco a disposição para enriquecer mais minha atuação com este trabalho que passa a ser a “menina dos meu olhos”.
Marco Fugga
Ator do Teatro dos Sentidos BH
 
Queria aberta e publicamente agradecer de coração aqui a algumas pessoas que me deram a oportunidade de participar em um dos trabalhos mais especiais que já pude realizar na vida que é também um espetáculo um tanto quanto peculiar, um teatro para deficientes visuais!
Meus mais sinceros agradecimentos à Dama Antiga Pós Modernérrima  Paula Wenke por criar, desenvolver, reproduzir, procriar e difundir esse espetáculo maravilhoso que é o “Feliz ano novo”. Espero que possamos realizar mais atividades culturais com esse cunho de inclusão social e respeito pelo público como foi realizada essa última temporada do Teatro dos Sentidos em Minas Gerais. Obrigado do fundo do meu coração por me dar a oportunidade de expor minhas ideias e aceitar sempre de coração aberto todas as opiniões e conselhos. Desde o primeiro ensaio senti que a nossa conexão estava extremamente sintonizada e preocupada com somente uma coisa, desenvolver da melhor forma o nosso trabalho para que a plateia obtivesse de forma simples e clara as mais sublimes sensações que o roteiro dessa peça pode oferecer. Um beijo no fundo do seu coração! Contem com o meu esforço e dedicação sempre que precisarem!
Aos que não puderam experimentar essas sensações incríveis que o Teatro dos Sentidos pôde proporcionar,aguardem a próxima temporada!
Thiago Rocha Mello
Violinista do Teatro dos Sentidos em BH
 
É adorável tomar conhecimento de depoimentos tão bonitos, sensíveis e que expressaram tão bem o tamanho da satisfação e gratidão por ter vivido tudo que vivemos nesses dias da temporada do Teatro dos Sentidos BH 2014 . Compartilho desses sentimentos e gostaria de expressar um pouquinho do que sinto também. Parabéns pela iniciativa, foi um privilégio te ajudar a colher os frutos desse trabalho lindo, espero poder ajudar com novas sementes e continuar participando desse movimento. Desejo vida longa e plena ao Teatro dos Sentidos
Clovis Cunha
Percussionista do Teatro dos Sentidos.
 
“Nada melhor que ter um reconhecimento do público pelo nosso trabalho. Muito bom ouvir as pessoas dizerem que gostaram, que acharam o espetáculo diferente, inovador, que é uma proposta incrível. É maravilhosa a sensação de dever cumprido, afinal fazemos um espetáculo para o público e se eles ficam felizes, missão cumprida!”
Fabricio Junior
Ator do Teatro dos Sentidos BH
 
“Porque não poderia eu escrever um email também como manifesto de rever novamente esse espetáculo por aqui? Porque fiz parte do elenco e não estava na condição de expectador?
Isso é o que você pensa, diante da nossa plateia perdi minha condição de atriz e encarei o papel de expectadora,pois pela primeira vez na minha carreira não estava a mercê do julgamento da plateia, não tinha seus olhos diante de mim, mas era responsável por fazê-los enxergar de outra forma,éramos responsáveis por aguçar sua criatividade e despertar nesse público os mais remotos sentimentos. Como conduzir uma plateia que estava experimentando pela primeira vez um mundo escuro, mas cheio de cheiros, som, gostos e formas? Mergulhamos no universo “CEGO” ,experimentamos os sabores vendados, conhecemos o medo do desconhecido e conhecemos como nos fazemos limitados, como foi desafiante e prazeroso despertar do mundo mecânico que eu estava imersa, como foi bom ver um público se emocionar por ouvir de verdade a sonoridade do violino, e por fim como foi bom mostrar às pessoas que elas podem ver a si e aos outros além dos olhos. E como não lembrar da gargalhada daqueles que eram cegos de verdade e puderam, pela primeira vez enxergar nossa arte. Este é um projeto mágico.TEATRO DOS SENTIDOS Minas precisa de novo..
Ana Martins
Atriz do Teatro dos Sentidos BH
 
Uma venda nos olhos, asas à imaginação e amor no coração: Passaporte para uma viagem fantástica. Uma viagem ao mundo dos aromas e sabores, dos sons e toques, das cores e dos amores. Uma viagem à introspeção que resulta em fortalecimento e engrandecimento; contribuindo para o auto- conhecimento.
É o Teatro dos Sentidos, provocando,despertando,modificando.
Obrigada Paula Wenke por sua sensibilidade e visão. Obrigada pela oportunidade de vivenciar a grandeza desse universo que eu via, mas não enxergava.
Cida Alves
Atriz do Teatro dos Sentidos BH
 
“É uma peça montada em apenas dez dias e um sucesso de arrepiar !!!”
Hipátia Dannyella
Atriz do Teatro dos Sentidos BH
 
“Certo dia, fui convidado a participar de um espetáculo. O que eu não sabia é que naquele dia o minha vida ganharia mais cor, teria mais brilho. Eu enxerguei a luz quando fiz fecharem os olhos…”
Alisson Silveira
Ator do Teatro dos Sentidos Rio
 
“Essas apresentações foram só o ponta pé inicial para a história do teatro mundial, da inclusão, da delicadeza, da forma de ser ator sem ser visto e sem fala, mas sendo capaz de envolver o público fazendo-o sentir o espetáculo com um carinho especial. Tenho certeza que Teatro dos Sentidos sempre será lembrado, tanto pelas pessoas que o fizeram acontecer, quanto para o público que o assistiu e o assistirá. Parabéns Paula, por ter a dádiva de ser a criadora de algo tão transformador.”
Michel Canteiro 
Ator do Teatro dos Sentidos RIO e portador de baixa visão.
 
“O TEATRO DOS SENTIDOS é um projeto ambicioso, com uma logística complicada que tinha tudo para ter confusão. Mas não há. Um ambiente de concentração, talento, troca e humildade que me emocionam”.
Igo Ribeiro 
Ator do Teatro dos Sentidos RIO